Educação maker: é fazendo que se aprende

A escola pode ser mais do que um lugar para os alunos sentarem e ouvirem os professores falarem por horas a fio; as aulas no estilo “faça você mesmo” criam um aprendizado dinâmico, divertido e que não sai da cabeça!

 

Cultura maker é a ideia de você mesmo construir os equipamentos, móveis, decorações e dispositivos que podem se fazer necessários e úteis no dia a dia. Aplicada à pedagogia, a educação maker vem para revolucionar os métodos de ensino tradicionais e colocar em prática novas formas de ensinar e aprender.

Vamos para um exemplo: se na sua casa está faltando um sofá, ou uma prateleira para colocar porta-retratos, você pode sair para as compras e resolver o problema… ou construir essas estruturas do seu jeito!

Mais recentemente, móveis feitos de pallets se tornaram populares porque todo mundo percebeu que poderia fazer praticamente qualquer coisa com algumas peças desse tipo.

Descobrir que é possível construir e criar faz parte de uma importante etapa na vida das pessoas. E a partir daí, tudo muda! Além de desenvolver habilidades manuais e aguçar o raciocínio, ser um maker tem como resultado peças e máquinas únicas que transformam o dia-a-dia.

 

Na escola, a educação maker mostra para alunos e alunas que todos podem ser inventores e “fazedores”. Basta dar o primeiro passo para a pesquisa, e depois é a hora de colocar a mão na massa!

 

A tecnologia e o conhecimento são as duas grandes bases para essa cultura. Pesquisadores e entusiastas estão sempre em encontros para aperfeiçoar projetos e compartilhar experiências. E é por isso que as escolas estão com mais espaço para a educação maker!

Você já ouviu falar de Campus Party, né? Essa é uma grande feira que recebe participantes de todas as partes do mundo, assim como a Arduino Day, a Flisol e a Maker Faire. É nesses lugares que inventores exibem seus trabalhos e servem de inspiração para quem está começando.

Seja para criar robôs, móveis, pinturas, esculturas, hortas caseiras ou planejar estruturas para impressão 3D, um “fazedor” tem a mente treinada para pensar soluções e investir na concretização de projetos. A educação maker chegou para unir o aprendizado com a tecnologia e a arte de criar.

Ter um laboratório maker na escola possibilita que alunos e alunas treinem suas habilidades e se vejam como perfeitamente capazes de começarem novas empreitadas. Na aula em que se aprende fazendo, cada um fortalece a criatividade, a iniciativa, a paciência, a autonomia e a empatia.

 

Todas as matérias podem aproveitar a interdisciplinaridade na educação maker! Que tal construir um telescópio para aprender como funcionam as lentes na aula de física? As possibilidades são infinitas!

 

Com alunos motivados e de participação ativa em sala de aula, a escola aprimora a qualidade de vida no ambiente e garante o sucesso no aprendizado.

A educação maker é a porta para o futuro nas instituições de ensino. Já que o mercado exige profissionais cada vez mais flexíveis e criativos, é hora de formar não apenas jovens líderes, mas pessoas competentes que sabem trabalhar em equipe e conhecem as ferramentas e técnicas necessárias para inovar sempre.

Compartilhe